Convivendo em Sociedade

Lívia Alen

Quando estava na faculdade, sempre voltava das aulas com uma colega, de ônibus. Nós íamos conversando animadamente todo o caminho. Imagino que não falávamos baixinho, mas como era por volta do meio-dia, pensávamos que não havia problemas. Porém, no mesmo ônibus, sempre estava um moço que queria dormir na viagem e que pela cara que fazia para nós, não apreciava tanto o nosso converseiro. Apesar de imaginar que nossa conversa poderia incomodar o tal moço, a gente se sentia no direito de conversar animadamente, em função do horário.

Lembrei isso outro dia, num trem que partira às três da tarde. Mas, dessa vez, eu era a moça que queria dormir. E, contra mim, estavam um grupo de amigos animados e uma família com crianças escandalosas. Desisti de dormir e resolvi pensar nos direitos que temos na vida em sociedade. Na minha cabeça veio a máxima: “seu direito acaba quando começa o do outro”.

Essa frase certamente dispensa explicações e quase dispensa também este texto. Entretanto, visto que eu falava alto no ônibus e essa turma não para de gritar e rir alto no trem, imagino que o tema ainda se faça necessário. Se formos capazes de observar quando nosso comportamento pode causar algum tipo de incômodo aos outros, certamente estaremos no melhor caminho para a convivência em sociedade. Se além disso, pudermos adaptar estes comportamentos de modo a evitar incomodar, seremos pessoas bem educadas e prontas para contribuir para a melhora da convivência entre os seres humanos.

A regra vale para filas, música (mesmo que com fone de ouvido), conversas ao telefone em locais públicos, espaço físico, colocar mochilas ou bolsas em locais que poderiam ser ocupados pelos outros… A lista não tem fim! E a falta de noção das pessoas também não.

Escrevo então para nos lembrar da importância de pensar no outro para melhorar a convivência entre todos. Antes de parar no meio de algum caminho, deixar um banheiro sujo, andar na rua ou numa escada bloqueando a passagem, fumar em local público, sugiro que façamos o exercício de pensar no outro. Afinal, é só só colocar em prática o que já sabemos desde crianças.

P.S. Que tal ajudar o mundo a ficar mais civilizado compartilhando esse texto? 😉

Anúncios

4 comentários sobre “Convivendo em Sociedade

  1. Querida Lívia, amei seu texto, principalmente porque me identifiquei completamente com seu sentimento. Confesso que cheguei a pensar que eu desejaria tê-lo escrito. Cresci ouvindo essa máxima que citou: “nosso direito termina quando começa o do outro”. E mais o que minha nos cobrava: “coloque-se no lugar do outro”. Às vezes sinto que estamos perdendo esse saber, tal o individualismo que impera hoje. Além de inteligente, sensível e talentosa, você é muito sensata. Parabéns pelo texto. Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s